Menu

Teste Menu 1

Imagem relacionada

Já faz alguns dias que ficou acertado entre ABC e Eureka que, para 2020, a empresa potiguar não seguiria como fornecedora de material esportivo do Clube do Povo. Inclusive, para os torcedores alvinegros que ainda não chegaram a saber, a ERK está passando por um saldão, um verdadeiro queima de estoque, de artigos do Mais Querido em sua loja.

Tomada essa decisão de não seguir com a ERK, também foi necessário pensar sobre qual empresa ficaria responsável pelo fornecimento do material na próxima temporada. Foi aí que, a diretoria, se espelhando em clubes como Fortaleza/CE e Paysandu/PA, decidiu adotar o modelo de marca própria.

A empresa responsável por desenvolver a marca e também os artigos esportivos será a MM Manager Sport. A empresa já firmou contrato com o Mais Querido e deu início ao trabalho de criação da marca.

Nos próximos dias novidades devem ser lançadas nesse sentido pelo ABC.
Resultado de imagem para didi duarte no abc
(Foto: Divulgação)
O ABC passa por um momento de reformulação administrativa. E, neste sexta-feira (6), o clube, através do presidente Fernando Suassuna, apresentou três novos diretores. O primeiro anunciado é um velho conhecido do torcedor alvinegro: Didi Duarte. Didi, que em outrora foi coordenador das categorias de base alvinegra entre os anos de 2010 e 2012, agora volta ao clube como coordenador técnico de futebol, assumindo o futebol profissional e as categorias de base.

Os outros dois diretores anunciados após processo seletivo foram: Cinthia Mara Macedo de Oliveira, que assume a diretoria de marketing e negócios do clube e Gutemberg Luís Costa Antas, que assume a diretoria administrativa e financeira.

Nos próximos dias mais mudanças devem ser anunciadas pelo mandatário alvinegro.
(Foto: Diego Simonetti/Major Fotografia)
Esta semana, foi concluída a primeira parte da consultoria realizada pelo grupo "Footway", empresa do consultor Marcelo Sant'ana, que foi responsável por fazer um "raio-x" da administração e da estrutura organizacional do ABC, e os resultados foram preocupantes.

Nesta matéria, o Blog vai destacar alguns pontos específicos que julgamos que sejam de maior importância.

O documento entregue por Marcelo Santa'Ana possui 36 páginas, e de cara, os resultados mostram que o Mais Querido precisa, urgentemente, de uma reformulação em todos os seus principais segmentos, desde o futebol profissional, passando pelas categorias e o departamento médico.

O diagnóstico indica que o ABC tem que realizar mudanças em seu departamento jurídico, tendo em vista que na atual situação, o alvinegro possui apenas um profissional da área com dedicação total ao clube.

No futebol profissional, o relatório definiu que o ABC precisa, o quanto antes, definir um profissional para exercer a função de gerente de futebol, cargo antes ocupado por Giscard Salton, que foi desligado do clube durante a Série C. 

Ainda sobre Giscard Salton, o relatório indica erro de planejamento nas Séries C de 2018 e 2019, quando o ABC apostou em jovens inexperientes da região Sul do país e acumulou fracassos, ficando em 8° e 9° lugar, nos respectivos anos.

A pobreza do departamento de análise e performance também é destaque, quando é relatado que apenas dois profissionais são responsáveis pela área, com o agravante do limitado uso da tecnologia e poucas viagens para a análise dos adversários.

Uma das questões ressaltadas nesta primeira parte da análise, foi a falta de comunicação entre funcionários do clube, decorrente de ausência de rotina e protocolos; contratempos com a logística de viagem; e a deficiente manutenção do centro de treinamento e das instalações do estádio do Frasqueirão. Falhas de manutenção costumam gerar maiores necessidades de recursos financeiros futuros com reformas mais complexas.

Cléber Romualdo, gerente de futebol ABCdista, é quem tem acumulado funções e tomado a frente nas questões do futebol. O próprio contribuiu para o relatório expondo um dos principais problemas dos últimos anos no ABC, a queda das receitas financeiras no segundo semestre, o que resulta em atrasos salariais e contribui para poluir o ambiente do vestiário.

Nas categorias de base, o ABC ainda não possui o famoso certificado de "Clube Formador", o que facilita a saída de atletas jovens sem que o clube tenha uma bom retorno financeiro. Sobre a estrutura física, o relatório aponta que o ABC precisa rever alguns aspectos, com urgência para que as necessidades dos atletas sejam atendidas.

Talvez o ponto mais delicado do relatório seja este a seguir:

Grande parte dos garotos que estão atuando nas divisões de base do Mais Querido, não estão matriculados em escolas, e os que estão, possuem um grande índice de evasão e reprovação escolar. Segundo o documento, o clube não realiza acompanhamento desses casos.

Para finalizar, o Departamento Médico, chefiado pelo competente Dr. Roberto Vital. 

O problema maior e que beira o inacreditável, está na falta de plano de saúde, desde a saída da Unimed. Este fato gera dificuldade nos exames e acarreta problemas na conduta e nos tratamentos, que terminam sem um protocolo padrão. O que faz com que os serviços fiquem na dependência de contatos pessoais e até do SUS.

No diagnóstico, a empresa responsável destaca que as informações são oriundas de relatos de funcionários do clube, sócios, colaboradores e conselheiros.

Caso o torcedor e leitor alvinegro quiser ler o diagnóstico, na íntegra, feito pela "Footway" sobre a administração do ABC, basta entrar em contato com o Blog ABC Minha Vida e manifestar o interesse.
(Foto: Divulgação)
Na tarde desta segunda-feira (16), membros da diretoria ABCdista estiveram no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para uma audiência, que foi conduzida pelo presidente do TRT, o desembargador Bento Herculano Duarte Neto.

A audiência tinha como objetivo o fechamento do acordo para que o ABC Futebol Clube pagasse cerca de R$ 6 milhões em dívidas trabalhistas. O que ocorreu com êxito.

Neste acordo, vários atletas serão beneficiados, como Andrey, Nando, Márcio Passos, Gladstone, Camilo, Daniel Amora e outros, totalizando 15 processos.

O ABC começará a pagar a dívida, que será parcelada em 60 vezes, a partir do dia 5 de dezembro deste ano.
(Foto: Luciano Marcos/ABC Futebol Clube)
No campo, a Série C do Campeonato Brasileiro acabou, e o ABC foi rebaixado, mas nos tribunais, o jogo só está começando, pelo menos é assim que pensa o setor jurídico do Mais Querido, que apresentou na tarde desta segunda-feira (26), ao STJD, a notícia de infração por irregularidade do técnico do Treze/PB, Celso Teixeira.

O Clube do Povo reclama  ao tribunal que Celso Texeira assinou a súmula e comandou o time paraibano diante do Confiança/SE, em jogo válido pela 17ª rodada da Série C. Segundo a denúncia do alvinegro, o treinador não poderia estar à beira do campo, pois, ainda quando era técnico do Central/PE, havia sido expulso, pegando 3 jogos de suspensão, chegando a cumprir apenas 1.

Na denúncia feita, o ABC lembra que a partir desta temporada, jogadores e técnicos passaram a ter o mesmo peso nas punições, ou seja, caso seja procedente, o clube pode, além de ser multado, perder os pontos da partida na qual a irregularidade foi cometida.

O Vice-Presidente jurídico do ABC, José Wilson, falou sobre o caso e se disse otimista, esperançoso que será aplicada a punição prevista no regulamento.

O Treze/PB recebeu no último sábado (24), o Botafogo/PB, e neste jogo, Celso Teixeira não pôde estar comandando o time na beira do gramado, sendo assim, cabe interpretar que a equipe paraibana admitiu que realmente existe esta punição para ser cumprida por parte do treinador.

O ABC terminou a competição na 9ª colocação, com 18 pontos conquistados, o Treze/PB, acabou com 19 pontos e na 8ª posição, escapando do rebaixamento. Caso a causa seja vencida pelo Mais Querido, o time paraibano perderá 6 pontos e será, consequentemente, ultrapassado pelo ABC, resultado que salvaria o potiguar da degola.

A procuradoria tem até 48 horas para acatar e dar prosseguimento ao caso, ou arquivar o mesmo.
-
(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
O meia chileno Boris Sagredo, contratado no inicio do ano como o grande camisa 10 do ABC para a temporada, acionou a justiça nos últimos dias cobrando do ABC danos morais por atraso de salários, danos morais por assédio, multa compensatória, além de verbas que o clube admite que realmente são devidas e reconhecidas no ato da rescisão.

O atleta cobra na ação também um montante de R$ 277.958,62.

O ABC reconhece que deve a Bóris Sagredo, os salários de maio e junho (salário mensal de 17.000,00 ), o salário proporcional de julho no valor de R$ 1.133,33, aviso prévio de R$ 6.500,00, férias sobre aviso prévio de R$ 1.083,33, 13º proporcional de R$ 6.500,00 e FGTS de R$ 6.160,00.

Observando o valor cobrado pelo atleta e o valor apresentado pelo ABC, vemos que há uma diferença monstruosa, que só deverá ser resolvida, de fato, na justiça.

Boris foi dispensado do ABC no mês passado, após saber que não seria aproveitado pelo técnico Roberto Fernandes.
Presidente Fernando Suassuna apresenta Fabiano Teixeira que assume como Diretor de Futebol do ABC. Foto: Andreia Freitas/ TV Ponta Negra
(Foto: Andreia Freitas/TV Ponta Negra)
Na tarde desta quarta-feira (19), o presidente do ABC, Fernando Suassuna, apresentou o novo responsável pela direção de futebol do clube. O nome já é bem conhecido da torcida alvinegra. Trata-se de Fabiano Teixeira, filho do vitorioso ex-técnico Ferdinando Teixeira.

Fabiano chega para dar um suporte a Bira Marques, que vinha desempenhando a função dentro do clube sozinho.

Para quem não se lembra, Fabiano foi derrotado nas eleições de 2015 do ABC pela chapa do ex-presidente Judas Tadeu.
-
(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
Na noite desta segunda-feira (8), o ABC Futebol Clube informou de forma oficial em suas redes sociais, que uma amostra do exame antidoping do volante Joílson deu positivo para uma substância proibida pela WADA (Agência Mundial Antidoping).

O exame em questão foi feito após a partida entre Altos/PI x ABC, no dia 27 de Janeiro, válida pela segunda rodada da Copa do Nordeste 2019.

Não foi divulgada a substância que foi encontrada no exame. 

O volante Joílson aceitou o resultado e, como é de praxe, está suspenso das atividades provisoriamente por 30 dias.

Os advogados do atleta, juntamente com o departamento jurídico do clube, estão buscando tomar as medidas para a elaboração da defesa do jogador.