Menu

Teste Menu 1

(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
O ABC iniciou a sua pré-temporada com 11 caras novas (contratados), 6 atletas remanescentes da temporada passada, além do meia Kaká, que subiu da base para o time profissional. No total, o elenco alvinegro conta com apenas 18 atletas.

O número reduzido de atletas no elenco faz com que a diretoria alvinegra siga no mercado à procura de mais contratações. O técnico do clube, Ranielle Ribeiro, comentou sobre as posições que o time ainda precisa reforçar. "Ainda precisamos de um lateral-esquerdo, pois não temos nenhum no elenco. Também precisamos de um meia de articulação, que domine o meio de campo, pise na bola, dê cadência ao jogo. Mas esse tipo de jogador é difícil de achar, e quando achamos, o valor não é baixo."

Confira o elenco atual do Clube do Povo:

Goleiros: Édson e Saulo;

Lateral-direito: Ivan;

Zagueiros: Henrique, Vinícius, Maurício e Yan;

Volantes: Felipe Guedes, Anderson Pedra, Joílson e Adrian;

Meias: Xavier, Valdemir e Kaká;

Atacantes: Rodrigo Rodrigues, Neto, Éder e Anderson.

(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
É dezembro e a novela "Wallyson pode voltar para o ABC" já começou. O atacante, que em janeiro deste ano vestiu a camisa alvinegra após uns 4 anos de especulação sobre sua volta ao clube, está sem clube no momento. Wallyson foi dispensado do Vitória/BA antes mesmo da última rodada da Série A.

Com Wallyson no mercado, a diretoria alvinegra já se movimenta para trazer o Mago de volta para o ABC. O técnico do Mais Querido, Ranielle Ribeiro, falou sobre o possível retorno do atleta ao clube. "Acredito que a volta do Wallyson seja possível. Pelo que ando conversando com o Giscard Salton (executivo de futebol), a situação do Wallyson é palpável, mais confiável, próxima de se concretizar."

Nos últimos dias, também foi ventilado o boato que o atacante Matheus Matias, hoje no Corinthians/SP, e o atacante Éderson, campeão brasileiro da Série B pelo Fortaleza/CE nesta temporada, também poderiam vestir a camisa do Clube do Povo em 2019. Ranielle comentou sobre a situação dos dois atletas. "Antes de falar do Matheus, é preciso saber se o Corinthians/SP vai querer utilizar o atleta em 2019. Caso não queira, vamos ter que entrar numa briga com outros clubes das Série A e B que também querem o garoto. Então, podemos ter pela frente uma disputa difícil. Já sobre o Éderson, acredito que fuja um pouco dos padrões financeiros do ABC. O Éderson está em evidência, foi campeão brasileiro da segunda divisão e também já foi artilheiro do Brasileirão em 2013".


(Foto: ABC Futebol Clube)
O técnico Ranielle Ribeiro concedeu entrevista logo após a derrota do ABC para o Atlético/AC, pelo placar de 1 a 0, na noite deste sábado (11), no Frasqueirão, pela última rodada da primeira fase da competição nacional.

O técnico iniciou a entrevista pedindo desculpas pelo objetivo que não foi alcançado e disse que o time lutou para conquistar a vitória contra os acreanos, mas não conseguiu. "Primeiro temos que pedir desculpas pelo objetivo que não foi alcançado. Começamos o campeonato querendo o acesso, mas não será possível. Acredito que não tenha faltado empenho e dedicação, mas infelizmente fracassamos e não vamos voltar para a Série B. Muito foi falado que as contratações para a competição não foram à altura dos atletas que saíram. Não era fácil repor as ausências que ficaram na equipe. Acontece que nem tudo é como planejamos. Hoje, por exemplo, tivemos tudo para vencer a partida, colocamos três bolas na trave, mas após a expulsão do Vinícius, nos complicamos e perdemos o jogo."

Sobre o futuro, o comandante alvinegro disse que o momento é de esperar uma definição da diretoria. "A diretoria quer que a comissão técnica siga com o trabalho. O momento é de esperar uma definição dos que estão à frente do clube. Vamos tomar a melhor decisão para o clube. É preciso sentar, conversar e avaliar a continuidade do trabalho. A diretoria está trabalhando muito forte nas finanças do clube, por isso, acredito que no próximo ano, será possível montar um time ainda mais competitivo."
(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
O ABC Futebol Clube entrou na última semana de fase de grupos da Série C do Campeonato Brasileiro de forma melancólica, apenas para cumprir tabela.

Sem chances de classificação e nem correndo riscos de rebaixamento, o ABC recebe no sábado (11), a equipe do Atlético/AC, no Estádio Frasqueirão.

O zagueiro Henrique foi o escolhido para falar em entrevista coletiva, comentou sobre o assunto e disse que é importante terminar a competição com vitória. "Eu acho que tem que ter profissionalismo. Estamos chateados, o que é normal, e é uma semana muito difícil, acho que pra todo mundo, não só para nós jogadores, como para torcida e todos que estão envolvidos dentro do clube. Temos que colocar os pés no chão e trabalhar. Tem esse jogo sábado, vamos tentar terminar com a vitória porque é importante também."

Os jogos fora de casa foram o "calo no sapato" do ABC nesta temporada. Em 9 partidas, foram 3 empates e 6 derrotas, o péssimo retrospecto pesou na eliminação precoce do alvinegro e Henrique comentou sobre. "Eu acho que se a gente chegou a não conseguir o acesso, talvez não tenha sido só por esse último jogo. Tiveram alguns jogos que a gente deixou escapar alguns pontos, o que foi primordial. Contra o Confiança/SE, que era um jogo que estávamos ganhando, o próprio jogo do Remo/PA, agora. Então eu acho que é uma série de fatores que não nos levou a conseguir esse acesso sonhado."
(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
O goleiro Édson está no ABC desde 2016, quando chegou ao clube para substituir o goleiro Vaná. Aqui, ganhou dois estaduais e conquistou um acesso para a Série B.

Neste ano, com o Mais Querido na Série C, Édson sofreu uma lesão na lombar, agravada por uma hérnia de disco, e só disputou 5 jogos em toda a primeira fase da competição.

Em entrevista, o goleiro revelou que deseja permanecer no ABC para 2019. O goleiro ainda disse que no ano passado,  mesmo após o rebaixamento, recebeu propostas de alguns clubes para deixar o Clube do Povo para disputar a Série B. "O meu desejo é de permanecer no ABC. No ano passado, mesmo com o ABC rebaixado, recebi algumas propostas para deixar o clube, mas preferi ficar porque queria colocar o ABC novamente na Série B. Infelizmente, sofri uma lesão e não pude ajudar muito nesta Série C. Por isso, quero ficar no clube, pois ainda não consegui cumprir aquilo quero, que é devolver o ABC à segunda divisão."

Édson disse que tem ciência que mesmo querendo ficar no ABC, tudo vai ser decidido após a eleição. "Como já disse, eu quero ficar, não escondo isso de ninguém. Mas não vai depender só de mim. Esse ano tem eleição no ABC, então não sabemos se essa diretoria vai permanecer ou se virão outros dirigentes. Portanto, é uma situação que depende mais de quem vai comandar o clube. Se houver interesse por parte da diretoria, eu estarei pronto para conversar e acertar os detalhes da minha renovação."
Ranielle Ribeiro não gostou da atuação do árbitro (Foto: Andrei Torres/ABC FC)
(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
Logo após a derrota do ABC para o Náutico/PE, pelo placar de 2 a 0, na tarde deste sábado (4), na Arena Pernambuco, o técnico Ranielle Ribeiro concedeu entrevista e analisou o resultado que acabou com as chances de classificação do Mais Querido.

O comandante alvinegro disse que a expulsão de Anderson Pedra definiu o jogo e criticou a atuação do árbitro. "Não posso creditar a derrota ao árbitro, mas a atuação dele não foi boa. Tudo bem que a entrada do Pedra no adversário foi forte, mas não era falta para expulsão. E, além disso, em um lance anterior, o lateral do Náutico era o último homem e puxou o Higor Leite, que iria entrar na área, e não foi expulso. Então faltou um pouco de critério por parte do árbitro. Aí, nosso time com um a menos, jogando na casa do adversário, que era o vice-líder, não conseguiu suportar a pressão e perdemos o jogo. Acredito que a expulsão do Pedra tenha definido o jogo."

Ranielle também disse que as chances reais antes do Náutico abrir o placar tinham sido do ABC. "No início do jogo, sentimos um pouco a pressão do adversário. Depois, nos organizamos em campo e tivemos chances reais de abrir o placar. Tivemos duas boas faltas e uma chance clara com o Arêz. Na falta cobrada pelo Henrique, a bola parou trave. Na cobrança do Higor, o goleiro fez uma grande defesa. Não conseguimos marcar, infelizmente. Na segunda etapa, mesmo bem em campo, perdemos um jogador por expulsão e nos complicamos."
(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
O ABC ainda não venceu fora de casa nesta Série C. Para continuar vivo na luta pela classificação para o mata-mata, o alvinegro vai precisar somar seus primeiros três pontos longe do Frasqueirão. O Mais Querido vai enfrentar o Náutico/PE, no próximo sábado (4), às 16h, na Arena Pernambuco, precisando mais do que nunca da vitória.

Em entrevista, o goleiro Édson comentou sobre a necessidade de vitória do ABC fora de casa. O arqueiro disse que o alvinegro vai ter que fazer um jogo "épico" para seguir na busca pela classificação. "Não ganhamos nenhum jogo fora de casa ainda nesta Série C. Com um grupo tão equilibrado, sabemos que vamos ter que fazer um jogo "épico" contra o Náutico para seguirmos vivos na competição. Se fizermos um jogo bom, equilibrado, vamos ter tudo para sairmos de campo com a vitória."

Mesmo sabendo que para chegar ao mata-mata será preciso vencer os últimos dois jogos, o goleiro frisou que o foco tem que ser no Náutico, que é o próximo compromisso do alvinegro. "Vamos ter que vencer os dois próximos jogos. Mas não podemos pensar no Atlético/AC, se antes vamos ter o Náutico pela frente. O nosso foco é no Náutico, pois é o nosso próximo adversário. O resultado que nos interessa é a vitória, e vamos lutar para buscá-la, mesmo sabendo que do outro lado tem um time numa crescente muito grande na competição e que vai jogar ao lado do seu torcedor."
(Foto: Andrei Torres/ABC Futebol Clube)
O técnico Ranielle Ribeiro concedeu entrevista e analisou a derrota do ABC para o Remo/PA, pelo placar de 1 a 0, na noite deste domingo (29), no Estádio Mangueirão, pela 16ª rodada da Série C.

O comandante disse que o gol do Remo nos minutos finais da partida foi um golpe difícil de suportar. "Nós sofremos o gol aos 41 minutos, já no final da partida. Foi difícil suportar o gol. Mas, logo depois, tivemos a chance de marcar com o Leandro Cearense, que acabou em uma grande defesa do Vinícius. A defesa do goleiro foi primordial para que o Remo conquistasse a vitória."

Ranielle também comentou que se tinha uma partida que o ABC podia perder nas últimas três rodadas da fase de grupos, era essa para o Remo. "Eram três jogos e agora só são dois. Então, se tínhamos algum jogo para perder, era esse contra o Remo. Daqui pra frente, não podemos mais tropeçar. Vamos em busca da vitória contra o Náutico/PE, fora de casa, e contra o Atlético/AC, com nossa torcida. Nós temos um trunfo muito forte. Isso porque, se nos igualarmos aos pontos do Botafogo/PB ou Santa Cruz/PE, teremos mais vitórias, e isso pode ser decisivo nessa reta final. Lembrando que no Grupo A não tem nada definido, por isso vamos manter o foco e o trabalho sério."